SnowAdventures - Ski e Snowboard
Home  |  Snow TV  |  Fórum  |  Blog  |  Estações  |  Artigos  |  Vídeos  |  Fotos  |  Links  |  Contato  

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

Por: A. Vinicius

Fiz essa viagem para Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn, também conhecido como o Triângulo Patagônico com meu amigo Flávio, no período de 31 de Julho a 13 de Agosto de 2007.

1º DIA – Rio - Buenos Aires

Consegui um vôo “barato” pela Aerolinas Argentinas. O vôo teve escala em Buenos Aires, cheguei às 22 horas. O vôo para Ushuaia partia no outro dia as 11 horas de um outro aeroporto chamado Aeroparque Jorge Newberry, que fica a 4 km do centro. Em Buenos Aires fiquei num hostel chamado Metro, putz antes tivesse dormido na rua, o quarto estava frio, os lençóis estavam sujos, tinham vários pentelhos na cama e não tem café da manhã, furada, tem diversos hosteis ótimos, eu sei, mas não reservei e acabei caindo nesse, nem deu tempo de reclamar, pesadelo...

2ºDIA – Ushuaia http://www.tierradelfuego.org.ar

Ushuaia no OºC, mas um casaco, fleece, luva, gorro resolve. Peguei um taxi para o Hostel Freestyle que fica no centro, depois vi que dava para ir à pé, passeando. O hostel é nota 100 tem calefação até no chão, luxo por 30 pesos, se disser que me conhece vão cobrar mais caro, esquece... Fui até a Rua San Martin comer pollo com papas fritas (frango com batata frita), no “El Parador del Fin del Mundo”, se pedir para levar paga menos...

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

3ºDIA – Ushuaia/ Cerro Castor

Alugamos o equipamento para snowboarding, as lentes (desnecessário para iniciantes) e as luvas de titânio (muito necessário) na Jumping Rental Ski que fica na Rua 9 de Julio. O Cerro Castor é o principal e mais novo centro invernal de Ushuaia, é um pouco caro mas vale muito a pena conhecer, para chegar lá tem que pegar um transfer (tipo uma van) que custa 20 pesos que vai e volta pela “Ruta nº3”. Caí muito na pista de esqui, sempre passava um pirralho perguntando se eu estava bem, um disse que eu deveria ter aulas, besteira...O cerro é alto astral e em frente a cada teresilla (teleférico) tem um abrigo ou restaurante tocando rock e eletrônico, o som deixa a galera mais pilhada para praticar o esporte. Passei um perrengue porque subi a montanha mais alta de teleférico achando que iria poder descer de teleférico de novo, nada feito, subiu tem que descer esquiando pela pista, e até então nunca tinha colocado a prancha no pé. Coloquei no chão, sentei encima e desci, foi bem divertido, o pessoal que passava esquiando ria de mim, não sei porque...

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

4ºDIA – Ushuaia/ Cerro Martial

Decidimos ir até a subida do Cerro Martial a pé. No inverno a maioria das trilhas que chegam ao teleférico está interditada por causa do gelo e da neve. Andamos durante 1 hora beirando a rua. Pegamos o teleférico até o topo. O Cerro não esta preparado para receber os esquiadores mais exigentes. Fomos direto para um abrigo, tomei o vinho caliente e um misto quente, os preços são mais baixos que os outros centros invernais. O dono do abrigo jura que fala português e sonha em conhecer Ilha Grande (RJ), ele colocou MPB pra tocar e puxou um papo longo, figuraça.

Logo atrás do abrigo estão as Cordilheiras Glaciar Martial, vale todo o esforço da subida, o local é mágico, ficamos horas tentando entender aquilo tudo. Com isso perdemos o horário de descida do teleférico, previsto para às 16:30. Não havia mais ninguém, tanto no abrigo quanto no teleférico, pirei de leve e descemos pela trilha de esqui, a pé, correndo, como a subida do teleférico era lenta perdi a noção do tempo que levaria para descer a pé e já estava escurecendo. Foi rápido e pegamos logo um táxi até o mercado “La Anonima” e compramos macarrão, molho e vinho para fazer no hostel.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

5ºDIA – Ushuaia/ Haruwen

O Haruwen é um centro invernal que também fica na Ruta 3, a 36 km da cidade. Pegamos um transfer até lá, fomos os primeiros a chegar, antes do instrutor de cachorros. Céu azul, muita neve, sol e - 8ºC, foi a temperatura mais baixa que peguei em toda a viagem. O passeio de trenó puxado por cães na neve vale muito a pena. Logo no início, enquanto o instrutor selecionava os cães que iriam sair do canil para puxar o trenó, ele explicou o porque dele estar utilizando "vira-latas" e não os huskies siberianos. É que aqueles cães passaram por cruzamentos com lobos selvagens para que tornassem mais ligeiros, magros e resistentes, e que os huskies não alcançavam grande velocidade. Os cães parecem gostar muito da tarefa de puxar o trenó, acho que é só isso que eles fazem, se acostumaram.

A praga de Ushuaia são os castores que foram levados para lá em 1945 com o objetivo de comercializar a pele, mas essa idéia não foi concluída e hoje são aproximadamente 250 mil castores, os animais destroem as arvores da região para fazer suas casas e desgastar os dentes. O principal predador natural dos castores é o urso e trazê-los para a terra do fogo iria prejudicar o turismo. Em Haruwen é possível ver os estragos que os castores fazem com as árvores, dentro do abrigo tem um castor de 60 kilos, empalhado, um dos maiores, no inverno eles estão dentro de suas casas hibernando. Depois fomos praticar o esqui de fondo, os esquis são mais leves e finos que o tradicional e você anda numa trilha horizontal, é um esporte que exige muito esforço, mas vale o passeio de 1 hora pelo bosque gelado de Haruwen. O trenó, o esqui de fondo e o almoço estão incluídos num pacote que você escolhe logo na chegada. A noite fomos na San Martin, beber algo...

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

6º DIA – Ushuaia/ Cerro Castor

Resolvemos alugar esquis em vez do snowboard e partir novamente para as pistas geladas do Cerro Castor, dessa vez desci mais tranqüilo e pagamos a tarifa para ficar até a metade da montanha, metade do preço, melhor, porque antes do meio dia as pistas superiores foram interditadas por causa dos fortes ventos, quem pagou a inteira perdeu dinheiro. Dia todo esquiando e deixamos para comer depois, na volta passamos no mercado, mais cerveja e macarrão.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

7º DIA – Ushuaia/ Parque Nacional Terra do Fogo (PNTF)

Compramos as passagens de ônibus para El Calafate logo pela manhã. Pegamos um táxi até a entrada do PNTF. Retiramos um mapa com o guarda florestal e andamos até a baia de Zaratiegue, cavalos selvagens, aves e muita neve, o lugar é muito bonito. Começou a nevar, voltamos andando pela estrada até a entrada do parque e esperamos o ônibus de volta ao centro de Ushuaia.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

8º DIA – Ushuaia - El Calafate

De Ushuaia a Rio Gallegos tivemos que descer do ônibus e ir até o serviço de migração duas vezes na Argentina e duas no Chile. Só apresentei o documento de identidade e quando ficaram sabendo que eramos brasileiros, o pessoal da migração logo se animou, tanto da Argentina quanto do Chile.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

Para sair da Terra do Fogo passamos pelo mar do Estreito Magalhães, a passagem é feita com um transbordador (uma barca que transporta automóveis), descemos do ônibus e fizemos a travessia de cima do transbordador, o visual é demais. A travessia já está incluída no valor do ônibus. O ônibus tem direito a lanche, café e chá à vontade, servido por um “comissário”, o tempo voa, muito bom mesmo.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

De Ushuaia até Rio Gallegos (la pronúncia é "Gajegos") são 19 horas. Ficamos na rodoviária de Rio Gallegos, bebendo cerveja, durante 4 horas. Até El Calafate foram mais 4 horas de ônibus.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

9º DIA – El Calafate

Chegamos na madrugada, o táxi foi pago pelo hostel e reservamos o passeio ao Parque Nacional dos Glaciares - Glaciar Perito Moreno, no hostel também. O nome do hostel é América Del Sul, o ambiente é muito legal, mas eles não aceitam cartão e isso foi péssimo, pirei de leve de novo. Os quartos tem os nomes de algumas cidades, ficamos no quarto "Rio de Janeiro", claro, mas tinha uma menina dormindo, Liao, Chiu-Ling é o nome dela, de Taiwan.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

O ônibus para o PNG partiu logo pela manhã, às 9 horas. Passamos pelo Lago Argentino, Cordilheiras do Andes, entramos no PNG e fomos direto para o cais de onde sai o passeio de barco que se aproxima do Glaciar Perito Moreno, coisa de filme.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

Depois fomos no mirante e ficamos algumas horas tentando entender aquilo tudo. A tarde fomos no centro e compramos uma pizza pronta no mercado. A noite fui comprar as passagens para Puerto Madryn na rodoviária.

10º DIA – El Calafate – Puerto Madryn

Pela manhã fui no centro de El Calafate e as 14 horas partimos para Puerto Madryn, com a parada de 4 horas e troca de ônibus em Rio Gallegos de novo. São 23 horas até Puerto Madryn. O ônibus servia lanche, jantar, café e chá à vontade, o comissário era uma figura, ri muito. A Liao, Chiu-Ling foi com a gente, no mesmo ônibus.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

11º DIA – Puerto Madryn/ Punta Loma

Na rodoviária, fomos no centro de informações turísticas, o pessoal é muito atencioso. Chegamos no El Gualicho Hostel a pé, o local e o serviço são ótimos, ficamos no mesmo quarto da Liao, Chiu-Ling, comemos uma pizza no “Resto & Bar”, a pizza é deliciosa, alugamos as bikes no hostel e fomos pedalando até Punta Loma, onde ficam os leões marinhos. Tem que estar disposto a pedalar muito, por 2 horas aproximadamente.

O pneu da bike do Flávio e o da Liao, Chiu-Ling furaram, mas as duas bikes tinham o kit de reparo. A trilha é coberta por uma vegetação cheia de espinhos.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

Chegamos em Punta Loma no entardecer, vimos várias focas, leões marinhos e um elefante marinho, gigante, coisa de National Geographic. Logo depois chegou uma família de americanos em uma pickup, falamos com o motorista e ele nos deu uma carona, fomos no bagageiro junto com as bikes.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

Compramos vinho, macarrão e alface, fomos para o hostel, eu e o Flávio fizemos a comida e a Liao, Chiu-Ling lavou a louça. Reservamos o passeio para a Península Valdés para o próximo dia.

12º DIA – Puerto Madryn/ Península Valdés

A van chegou bem cedo no hostel, fomos até uma praia e vimos várias baleias a menos de 10 metros da areia, incrível. O céu estava cor de laranja, lindo mesmo.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

A van continuou o percurso até Puerto Pirâmides, de lá os barcos são puxados até o mar da península e saem à busca das baleias. O barco é pequeno, bem menor que a baleia, fiquei um pouco preocupado. Logo no início, o barqueiro (que parceria o Jack Sparrow do filme "Piratas do Caribe") apresentou a instrutora bilíngüe, ela explicou todos os procedimentos de segurança, um era sobre o equilíbrio do barco, mas quando a baleia se aproximava todos iam para o mesmo lado do barco, isso fez o barco balançar muito. Mas depois que a primeira baleia se aproximou, senti que não tinha motivos para tanta preocupação. Umas seis baleias se aproximaram, uma delas ficou vários minutos embaixo do barco e outra espirrou água no rosto do Flávio.

Ushuaia, El Calafate e Puerto Madryn

A van continuou até a Punta Cantor, só vimos quatro leões marinhos, deitados, estáticos. No percurso vimos outros animais na estrada, o visual vale muito, ver os animais no habitat natural não depende só da época. A noite fui na rodoviária comprar as passagens para Buenos Aires.

13º DIA – Puerto Madryn – Buenos Aires

Foram 19 horas até Buenos Aires de ônibus leito, com jantar, café da manhã e lanche, chegamos de manhã e fomos direto para o Aeroporto de Ezeiza, o vôo da Gol atrasou 6 horas por causa de uma neblina forte, e só partiu as 18 horas, pegamos o caos na conexão de Guarulhos, aconteceu uma troca de aeronave que não estava prevista, chegamos no Rio à noite.


Reserve Hotéis

Reserva de Hotéis Estados Unids, Eurospa, América do Sul

Recomende

Newsletter

Cadastre o seu email para receber as novidades do site:

 

 


Copyright 2006-2016 SnowAdventures - Expediente do site